Aleitamento materno

aleitamento

Por Rafaella Cajaiba Cruz Martioli e Marcella dos Reis Santos, Nutricionistas e novas colaboradoras do blog Feito Para Mãe.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que o aleitamento materno seja exclusivo até os 6 meses e complementado até os 2 anos de idade ou mais.

As vantagens do aleitamento materno são inúmeras, podendo destacar:

-É espécie-específico: possui a quantidade certa de macronutrientes e micronutrientes para o bebê, propiciando o adequado crescimento e desenvolvimento.

– É prático, econômico e de disponibilidade imediata.

– É considerado a “primeira vacina” do bebê por possuir fatores não nutricionais que protegem contra doenças crônicas associadas ao sistema imunológico e alergias alimentares.

– É importante na formação e manutenção do vínculo mãe e filho.

Após o parto a lactação é resultado da sucção correta da mama pelo bebê, que estimula a liberação no cérebro de dois hormônios: um estimula a produção do leite (prolactina) e outro a ejeção (descida) do leite (ocitocina).

Por este motivo a pega correta é importante para não prejudicar a produção de leite, e a mamãe deve ser orientada sobre as técnicas corretas de aleitamento:

1) A criança não deve fazer barulho para sugar, o único som que deve-se se ouvir é o da deglutição (ato de engolir). Se bebê engolir ar pode apresentar gases e cólicas, e se pegar a mama de forma errada pode gerar rachaduras e fissuras no mamilo.

2) Não se deve estipular tempo de duração para as mamadas.

3) Nos primeiros dias orienta-se colocar o bebê um pouco em cada mama para estimular bem as duas de forma regular.

4) Após primeiros dias deve-se deixar o bebê ficar quase saciado em uma mama para poder oferecer-lhe a outra. Caso ele não aceite ou aceite pouco, a mama pouco ou não sugada será a primeira a começar na próxima mamada.

5) O bebê determina o horário de mamada. Isso é livre demanda!

6) Se o bebê mamar em intervalos muito curtos deve-se observar se ele está esvaziando bem as mamas e conseguindo ingerir o leite posterior (leite mais rico em gordura que demora alguns minutos para sair após o início da mamada).

7) Após a amamentação deve-se colocar bebê em posição vertical, apoiado no ombro, para arrotar.

8) A mãe deve estar sentada, com as costas apoiadas em aproximadamente 90º.

9) O bebê deve ficar apoiado nas pernas da mãe (ou em uma almofada sobre as pernas da mãe), permitindo o conforto materno.

10) É necessário que o bebê abra bem a boca e alcance parte ou toda a aréola. Caso o bebê não abocanhe a aréola adequadamente coloque a ponta do dedo indicador na queixo do bebê e puxe-o delicadamente para baixo, forçando a criança a abrir a boca.

11) Para retirar a criança do peito deve-se colocar a ponta do dedo mindinho no canto da boca da criança e pressionar levemente. Desta forma evita-se atrito no mamilo.

Porque o leite materno é superior ao leite de vaca?

O leite materno possui quantidades adequadas de proteínas de rápida absorção e de fácil digestão. Possui quantidade suficiente de água, sendo que se a criança estiver em aleitamento materno exclusivo, não é necessário oferecer água para a mesma nos intervalos das “mamadas”. Possuem vitaminas e minerais em concentrações adequadas, além de fatores imunológicos e de crescimento.

E quanto ao leite de vaca?

Contém proteínas em excesso, de difícil digestão pela espécie humana (caseína), aumentando o risco de desenvolver hipersensibilidade (alergia e a proteína do leite-APLV), proteína de difícil absorção, é deficiente em Vitaminas A e C e contêm minerais em excesso, aumentando a carga de soluto renal, gerando uma sobrecarga nos rins que ainda estão em formação.

As crianças amamentadas artificialmente sejam com fórmula infantil ou leite de vaca devem sempre receber água exógena, ou seja, sempre no intervalo das “mamadas”.

E quanto às chupetas e mamadeiras..Podem prejudicar o aleitamento materno?

A resposta é SIM. O exercício que a criança faz para retirar o leite da mama é muito importante para o desenvolvimento adequado de sua cavidade oral, propiciando uma melhor conformação do palato duro, o que é fundamental para o alinhamento correto dos dentes e uma boa oclusão dentária. Quando o palato é empurrado para cima, o que ocorre com o uso de chupetas e mamadeiras, o assoalho da cavidade nasal se eleva, com diminuição do tamanho do espaço reservado para a passagem do ar, prejudicando a respiração nasal. Assim, o desmame precoce pode levar à ruptura do desenvolvimento motor-oral adequado, podendo prejudicar as funções de mastigação, deglutição, respiração e articulação dos sons da fala, ocasionar má-oclusão dentária, respiração bucal e alteração motora-oral. Sem contar que a forma de sucção da mama é uma e da chupeta e/ou mamadeira é outra, podendo confundir os bicos, aumentando as chances da criança perder o interesse pelo peito.

nutri
 Rafaella Cajaiba Cruz Martioli.
Marcella dos Reis Santos
Nutricionistas
Especialistas em Nutrição Clínica, Mestres e Doutorandas em Pediatria.

Anúncios