Montando as malas. Praia e crianças, o que levar?

Vem chegando o Verão! Nada melhor do que um sábado e domingo de alto astral na praia! Esse será o nosso destino para o próximo final de semana. Curtir a praia enorme, super extensa, mar calminho, praticamente sem ondas, daquelas que a gente anda bastante para dentro do mar para poder mergulhar, portanto, perfeita para crianças! E com água morna… huuuuuuuuuuum. Me digam, quem não gosta?? Principalmente as crianças, né? Correr sem limites, fazer castelinho de areia, enterrar os pés e, claro, entrar no mar são as principais atrações das crianças na praia. ELAS ADORAM!!

A partir dos seis meses de idade os pediatras já liberam a ida de bebês para a praia. Mas pisar na areia com os pequenos não é tão simples quanto parece. Viajar com crianças requer muito planejamento e organização até mesmo na hora de fazer as malas. Quanto menor a criança, maior a lista de coisas que precisa ser levada na bagagem.

Para fugir de todas as situações desagradáveis e conseguir realmente relaxar nos dias livres, alguns cuidados são essenciais. Viajar com criança é diferente de viajar sozinho, em casal ou com um grupo de amigos. Não adianta, por exemplo, escolher a praia apenas pela paisagem deslumbrante. Quando há menores na turma, o local precisa contar com uma infraestrutura básica: quiosques para comprar alimentos ou bebidas, banheiros, duchas e pontos de aluguel de equipamentos de praia, como guarda-sol e cadeira, já que, dependendo do destino, levar esses itens de casa é inviável.

Para arrumar as malas – seja para um, dois, três ou quinze dias – eu sempre penso no seguinte:

– para onde vamos (praia, piscina, campo, cidade, chácara, hotel/pousada, casa de parentes ou amigos, entre outros)

– como vamos (de carro, de avião? numa viagem de carro dá para levar vários pequenos volumes, já nas viagens de avião a gente dá preferência por malas maiores, principalmente as de rodinhas)

– infra estrutura do local (tem ar condicionado, ventilador? cozinha completa com fogão e geladeira ou apenas microondas e/ou frigobar? tem tanque ou lavanderia? lugar para secar as roupas?)

– a época do ano (as estações, claro, e também qual clima tem sido predominante naquele período para o local onde vamos)

– as diversas situações que podem surgir ao longo dos dias (crianças se sujam, se molham, as fraldas podem vazar, etc)

– o que é melhor levar de casa e o que pode ser comprado lá (principalmente alimentos, bebidas e medicamentos)

Depois de pensar em tudo isso, o próximo passo é arrumar as malas:

– Leve muitos protetores solares. Vai que a sua marca preferida está em falta em seu destino?
– O chapéu que a filhota aceita usar, os óculos estilosos do filhote, a saída de banho que esquenta no fim de tarde: para a mala, já!
– Assim como uma boa variedade de calções, sungas e biquinis, para não depender de tempo bom para secar.
– Vale levar também um pequeno kit de primeiros-socorros: band-aids animados, com o personagem querido, alegram qualquer um.
– Uma lata de leite em pó e fraldas (de piscina e comuns) para os primeiros dias são a certeza de que não será necessário gastar tempo em farmácias.
– Mamadeiras e chupetas extras, muitas chupetas, para os bebês que dormem à tarde, naquela sombrinha com o barulho do mar…
– Carrinhos: levar ou não levar? Até as crianças completarem 5 anos, nós sempre levamos, para o descanso no restaurante, para não perder o controle no café da manhã, para a caminhada na praia de areia dura.
– Babadores, paninhos, fraldinhas, a manta preferida: peças de uso diário diminuem a saudade que as crianças sentem de casa.
– Travesseiro também – ou talvez a boneca preferida, o “sujinho” inseparável do berço…!
– Carregar bercinhos portáteis depende do gosto do freguês. As pousadas costumam oferecer, vale perguntar antes de viajar.
– Assim como a possibilidade de uso da cozinha, para esquentar uma comidinha, um leite, nada mais prático.
– Máscaras de mergulho, nadadeiras, baldinhos etc são trambolhos que divertem.
– Não economize em camisetas e shorts. Ninguém vai lavar roupa nas férias, não é?
– Leve pelo menos duas mudas de roupas mais quentinhas, para o caso de chuva ou frio.
– Lápis de cor, livrinhos e aparelho de DVD. Se esses recursos nos salvam na cidade, por
que não usá-los nas férias, para garantir um almoço tranquilo?
– Cangas, muitas cangas, para enrolar a garotada na hora de sair da praia, para forrar o banco do carro alugado, para proteger os rostinhos do sol. Cangas são mais leves do que toalhas.

Agora é só curtir aquele solzão com muitas brincadeiras e diversão. BOA VIAGEM!