MATERNIDADE E PERDA: COMO VOCÊ SE SENTE?

Por Willa Marques – Psimaterna 
Psicóloga Perinatal – Especialista em Psicologia da Maternidade
CRP: 02/17764

Uma das coisas que nós, como mães, discutimos raramente é a perda associada ao papel de uma mãe. No entanto, diversas pesquisas mostram que muitos de nós experimentamos uma grande perda durante este tempo.

Os primeiros dias da maternidade podem ser particularmente angustiantes. A realidade de cuidar de um bebê, falta de sono e várias perdas… O tempo pessoal, o espaço, o senso de autoconfiança, a autoestima e uma percepção negativa de si mesmo como mãe podem ter um impacto marcante na qualidade de vida de uma nova mãe.

Durante a transição para a maternidade, as mulheres deixam de lado partes do seu antigo eu que não são mais complementares a serem mãe (relações, papéis, atividades). Essa redefinição do eu leva a sentimentos de perda. Esta perda é muitas vezes ignorada por mulheres e até por profissionais de saúde, não a toa que hoje se fala tanto em depressão pós parto. Mas, só porque você não tem depressão, não significa que você não sente sofrimento diante dessa nova realidade.

“A morte não é a maior perda em vida. A maior perda é o que morre dentro de nós enquanto vivemos “- Norman Cousins

Como lidar com essa perda?

Reconheça – aceitar que você sente isso e que está bem, isso não significa que você não ama o seu filho ou ser mãe. Mas a perda é real e natural.

Chore – Chore se precisar! Encarar as partes de si mesmo que você perdeu devido à maternidade pode trazer uma certa angústia, então se você quiser, chore, você tem esse direito.

Busque apoio – Um dos fatores mais importantes no bem-estar das mães é o apoio social que recebem, da família e de outras mães. Outras mães compreendem a perda que você está experimentando. Sabendo que você não está sozinha pode ser um tremendo conforto para as novas mães. Se necessário, um profissional pode fornecer um espaço seguro para explorar esses sentimentos.

Priorize-se – reserve um tempo para incluir o máximo de atividades pré-bebê em sua nova rotina quanto possível. Solicite a ajuda de seu parceiro, se você tiver um, sua família e amigos para ajudá-lo com cuidados infantis.

Perda durante a transição para a maternidade pode ser difícil de reconhecer para muitas mulheres. A culpa que sentimos quando admitimos que perdemos nossos eus e a vida que se tinha antes pode nos impedir de lidar com essas emoções fortes. E as emoções sempre encontram uma saída. Abordar esses sentimentos de forma precoce e proativa pode ajudar a aliviar mais sofrimento. Maternidade é difícil, então dê-se o espaço para ser você. Porque você sabe o quê? Você é mãe, mas continua sendo humana!  

Willa Marques – Psimaterna 
@psimaterna
Psicóloga Perinatal – Especialista em Psicologia da Maternidade
CRP: 02/17764

➲ Av. Gov. Agamenon Magalhães, 615- Empresarial Burle Marx , 
sl 907 – Espinheiro – Recife
✉ contato@psimaterna.com.br 
✆ +55 81 99618-7967